outubro 06, 2008

1 - Open Portugal


Quem se deslocou a Mafra no passado fim-de-semana de 27 e 28 de Setembro, constatou que o melhor está agora ainda melhor! O Megacampo, não pode mais ser chamado por nós de “Parque de Jogos” porque o Open Portugal está de regresso e em fim-de-semana de Open o Mega é por excelência A arena!

Os participantes nos vários circuitos do Open Portugal já usufruíam de seguro; ambulância no recinto de jogos; casas de banho e balneários com agua quente; bebidas frescas e pratos quentes; zona de equipas coberta, com mesas identificadas e individuais, bancos, e caixotes de lixo; técnico de marcadores; zona de limpeza para jogadores...
Agora, são também recebidos por um Speaker, papel desempenhado por essa lenda viva do nosso desporto: João Quim-Bé., que do alto da monumental nova Torre CPL e SPL, enquadrado pelo quadro de pontuações oficial do Millennium Series, é um verdadeiro mestre de cerimonia e maestro num só, contribuindo para melhorar o trabalho de quem está dentro das redes e a diversão de quem está fora delas.
E por falar em quem está lá dentro; no 1º andar da Torre CPL/SPL foi criado um espaço exclusivo, para os árbitros guardarem o seu material. E a box das equipas foi repensada e reforçada, para alem de enriquecida pelo quadro-electrónico interno com os tempos e pontuações do jogo.
Incontornável é também a grande surpresa do Campo 2, esta época destinado ao Circuito M5 (em breve Liga Bronze), que viu o seu piso alisado e completamente alcatifado com Turf, sendo por isso dois agora os campos alcatifados do Megacampo. Espera-se que com o terceiro campo também alcatifado e o Ar a chegar aos campos 2 e 3, os responsáveis pelo Campeonato Nacional dêem ao Megacampo a honra de receber uma etapa do Campeonato Nacional.

E depois, houve jogos...
No Sábado a Estratego estreou uma divisão nova, a SPL (Liga Silver em breve), divisão de acesso directo à divisão rainha do Open Portugal, a CPL (Liga Gold brevemente). Esta divisão deu o seu primeiro tiro com 10 equipas, mais os Magma Mater na arbitragem da Divisão M5, também disputada no Sábado e que contou com a presença de 13 equipas.
E no Domingo jogou-se a divisão rainha do Open, a CPL. Divisão fechada às 8 melhores equipas, o lugar para se estar quando se ama a Tinta!

É famoso o ecletismo geográfico do Open, englobando equipas de Norte a Sul do Pais, e até equipas das Ilhas e estrangeiro, como famoso é o excelente ambiente que se vive fora das redes. Com a presença, pelo segundo ano, da Federação Portuguesa de Paintball no Concelho Técnico do Open, este ganha também outra credibilidade para por no ambiente, e um outro regulador para os ímpetos dos melhores.
E dos melhores se fala no Open porque com a presença de vários campeões regionais e nacionais nas respectivas categorias, o nível do Open é bastante bom! Mas esta foi apenas a primeira etapa, ainda vai voar muita Tinta, da boa e da melhor, em mais uma época de Open Portugal...

M5
Desportivamente a grande surpresa foi a não passagem às finais dos históricos Wild Catz que não aguentaram o sprint vespertino pelos E/D´s com os algarvios Sioux que assim se qualificaram para a final4 com uns poderosíssimos Energy Team; os NPU a iniciarem bem a época como lhes é apanágio; e uns surpreendentes The Legend a estrearem-se em grande no circuito. Nenhuma equipa se qualificou sem derrotas e nenhuma equipa terminou os preliminares sem pontuar, o que é significativo da competitividade que nos espera até ao próximo Verão.
Nas finais os Energy Team varreram a concorrência, com um único jogador perdido em três jogos, sendo o natural vencedor da etapa, seguidos pelos NPU que, diga-se, foram a única equipa capaz de os vencer (no primeiro jogo do dia dos preliminares, única derrota de todo o dia para os Energy) dai que sejam uns justíssimos segundos classificados. No último lugar da glória classificaram-se os Sioux que finalmente (e apoiados pela Danone) venceram por três homens os The Legend no seu jogo, relegando-os para uma honrosa quarta posição.

Parabéns aos vencedores e aos glorificados, e um abraço muito forte aos manos Jacobs e ao brasileiro do cacete!

A arbitragem desta divisão ficou a cargo da equipa SPL Magma. Do seu trabalho não me chegaram criticas de vulto, e o Domingos Leitão, representante da Federação Portuguesa de Paintball, responsável por avaliar o seu trabalho, pareceu-me agradado.

Um aparte: É sabido do meu especial carinho pelas divisões de 5man. O sangue novo, a cantera, o futuro... pois directamente do Mato para o presente, temos os Cães da Vila New Breed que se estrearam na competição com um brilhante sétimo posto tendo perdido apenas duas partidas em seis. Parabéns malta, e muito bem vindos sejam.
E aos outros, que agora também se iniciam neste vício, a melhor das sortes, a Tinta agradece.

SPL
Esta é, à partida e em teoria, a divisão mais brutal do Open Portugal!
Antevendo o poderio das 10 esquadras, praticamente todas são ou serão fortíssimos candidatos à presença nas finais, em todas as jornadas, incrível!
Nesta, seguiram para as finais duas equipas que se estão a tornar num verdadeiro derby do Open, Bando de Irmãos vs Triball Storm, acompanhados pelo S.C.P. B e pelos Wolverine com o fabulastico Filipe Mendes na formação.
Precisamente os Wolverine que apenas perderam uma partida em todo o dia, a da final 0-3 frente aos B.I.5 que assim resistem a ventos e tempestades de Verão, para entrarem no Outono sentados no degrau mais alto da gloria. Na terceira posição ficou o Sporting B que derrotou por 2-1 os Triball Storm na final B.
Uma nota para os Cães da Vila.com que se estrearam nos insufláveis com um inacreditável 5º posto, e pela negativa para os Demolition Óbidos que terminaram a etapa na 7ª posição.

Parabéns a vencedores e vencidos, e um abraço forte ao velho dos Triball que consegue ser ainda mais velho que eu, aos Magma por terem arbitrado a M5, ao Ulisses porque me está no sangue, e ao Sr Mendes um dos meus ídolos!

A arbitragem de todas as etapas desta divisão está a cargo da equipa Bunker Kids, da CPL, uma boa garantia.

CPL
A divisão máxima do Open Portugal está mais forte, muito mais forte, com a entrada dos Checkpaint Effect, e para mostrar quem é quem no Open, já que inexplicavelmente não o podem fazer no Campeonato Nacional, os Checkpaint voltaram a casa com mais um primeiro lugar, mas desta vez no degrau mais alto. Ao longo do dia só perderam um jogo, contra os 4º classificados Paintland, sendo sem dúvida a equipa mais espectacular de observar. Parabéns e muito bem vindos.
Na segunda posição ficou o S.C.P. que realizou um torneio tremendo, constantemente em guerra de dedos e nervos. Seguidos pelos Bunker Kids que na final B venceram os Paintland por 2-1. Dos Bunker Kids, é noticia serem agora os PBK (Pintabolas Bunker Kids) o que pressupunha pela riqueza da fusão, no mínimo a presença na final A. Dos Paintland, não tinham no plantel ninguém que seja noticia, apenas eles, a noticia é apenas eles terem alcançado este fabuloso 4º posto e os números com que registaram esta sua primeira defesa do titulo principal do Open Portugal. Muito bom malta!
Na quinta posição ficaram os algarvios Intruders que na época passada nos habituaram a exibições agressivas mas que esta época se encontram, por enquanto, mais contidos.
E uma nota para os Xplosiv, que contaram com a participação do João Anjos (aka Anjix) mas cedo ficaram pelo caminho.

Todas as etapas da CPL serão arbitradas pela equipa Triball, vinda de Gouveia.

Parabéns a vencedores e vencidos, e um abraço forte ao Santos e aos dois algarvios do costume...

De lamentar, o atraso no inicio do primeiro jogo em ambos os dias.
De aplaudir, a magia do Rui Cardoso.
De agradecer, ao Keyser pelo desenho dos campos.
De pensar, parece-me ainda mais suspeito ter jogadores numa Federação do que empregados de empresas...
De cair de cú, a Torre CPL/SPL!

A melhor das sortes para todos

16 fps

2 comentários:

invest the stock market disse...

wow, very special, i like it.

Anónimo disse...

Só uma correcção, os Magma neste momento são os Magma Mater, de resto, nõa há nada a acrescentar.

Keyser