novembro 05, 2006

Divagando no MS

Á muitos anos, quando os melhores jogadores Europeus ainda eram apontados também pelas suas qualidades nos torneios de Pump, existiam 3 ou 4 grandes torneios internacionais no velho continente. O Megacampeonato em Mafra (Lisboa – Portugal) era um deles.

Joy Division, Tonton Flingueurs e Banzay Bandits, (as 3 melhores equipas europeias da época) eram presença constante e obrigatória em qualquer um destes torneios, e da reunião sistemática e repetida das principais figuras do fandom paintebolistico nestes torneios, nasceu o Millennium Series.

Demorou algum tempo, mas o romantismo dos pioneiros acabou por sucumbir ao pragmatismo, primeiro dos escudos e agora dos euros, e o Millennium Series passou a olhar o Paintball Europeu não como uma “família itinerante” mas sim como um bizz.
É natural que assim seja, é assim que se cresce/evolui, mas neste processo de crescimento/evolução começam a perder-se demasiadas raízes, o que me incomoda cada vez mais.

Primeiro ouve uma reacção a Norte, e os Escandinavos, na ausência de provas á porta de casa, criaram o seu próprio circuito infelizmente ostracisado pelos media.

Depois retiraram a mítica prova de Portugal e de seguida também a de Madrid, do Circuito do MS, deixando todo o Circuito(?) comprimido ali para os lados do umbigo da Europa, com um saltinho á ilha britânica para acalmar/calar qualquer cinzentismo mais influente.

O que eu fiz quando a LPP me retirou as provas da “porta-de-casa” foi criar um Regional em Lisboa, o RLX.
O que os Ibéricos deviam fazer agora que não têm MS "em casa" é organizar um Circuito Ibérico.

2 ou 3 provas no máximo, mas provas que realmente expressem a quantidade e qualidade do nosso Paintball. Provas que acabarão por atrair também equipas Francófonas e eventualmente até Inglesas, Italianas e Escandinavas. Provas que, se forem tratadas com a competência, seriedade e empenho de todos os Ibéricos, poderão mostrar aos senhores da Board do MS que a Europa Ocidental está bem e recomenda-se tanto desportiva como financeiramente.
Por isso se quiserem o dinheiro das nossas inscrições no MS para encher os bolsos dos do costume, comecem também a respeitar os nossos bolsos e o nosso orgulho como nações, de outra forma o MS vai acabar por se extinguir no seu próprio umbigo tornando-se um Regional de França com um saltinho a Londres.
Assim não pode ser!

16 fps

11 comentários:

Anónimo disse...

Ora bem

Não sou da opinião de criar outro torneio, quase como o "dividir para reinar", á imagem dos regionais de lisboa/sul.
Mas por outro lado, porque há sempre 2 lados numa questão, como jogador sinto-me tratado como lixo, quando a justificação dos locais das provas de 2007, passa pela frase: ficam ao pe de inglaterra, frança e alemanha... e nós porra?

Mas, indo ao fundo da questão, porque perdemos o MS ibérico? pela péssima qualidade da prova? concerteza... mas quem decide os locais?

Terá sido o PCO chicotado e impedido de organizar mais algo? espero bem que não porque a ideia grátis de muitos paintballers portugueses reside na utilização do Algarve...

Acredito muito que esta prova iria trazer uma etapa de armas e bagagens para a península ibérica, por não faltar nada do que uma prova destas necessita.

Desde aeroporto, a alojamentos, noite e equipamentos desportivos (aka estadios) não esquecendo o bom receber dos portugueses...

fica a ideia... mais uma vez... pode ser que "alguém" leia!

Cloud

Cobrakan disse...

Não podia estar mais de acordo. O comment do Cloud é muito pertinente e partilho da opinião dele.

Acho que o Algarve tem tudo para proporcionar condições excepcionais para se realizar uma etapa do MS. As infraestruturas existem e há épocas do ano em que a ocupação hoteleira é relativamente baixa, pelo que um evento da natureza e dimensão dum MS iria provavelmente agradar a quem pode apoiar essa iniciativa.

Infelizmente para tal acontecer é preciso haver uma organização digna desse nome. E não me parece que o passado jogue a nosso favor. O que se passou em Madrid roçou o rídiculo. Por outro lado, acho que se torna impossível realizar um MS em Portugal que não envolva o PCO, pois não creio que ele abra mão da sua posição priviligiada, o que nos leva de volta ao início do parágrafo. Uma verdadeira pescada de rabo na boca!

No meu entender, o regresso do MS a Portugal está dependente de uma série de if's. Se for possível juntar um grupo de pessoas empenhadas em trazer o MS cá, se conseguirem juntar apoios que permitam elaborar uma proposta irrecusável ao Millenium Board, se o PCO permitir, dentro do Board, que a proposta seja aceite, então possivelmente voltaremos a ter uma prova do MS em Portugal.

Julgo que existe no nosso burgo, gente com capacidade e qualidade para fazer uma tentativa neste sentido. O que falta, parece-me, é alguém que tenha a possibilidade de empenhar muito tempo e energia para pôr de pé de um projecto destas dimensões.

A sua realização, com a qualidade que sei que é possível atingir, seria um orgulho para a comunidade do Paintball nacional e uma bofetada de luva branca a alguns dos poderes instituídos neste pequeno jardim do imenso Planeta Redondo.

Anónimo disse...

Para kem nao sabe toda esta conversa do algarve ja foi falada mesmo com a organização do MS e a abertura nao foi assim muita.
expriencia propria

Kina PMA Rush

cobrakan disse...

Já te questionaste porquê Kina?
Será que PMA faz soar alguma campaínha? Voltamos à questão dos if's.

Planeta Redondo disse...

Boas Cloud

Começo por dizer que o meu conhecimento dos meandros do MS é praticamente nulo. Revistas, conversas e muita massa cinzenta a trabalhar.

A minha proposta não é FRACTURANTE mas sim DEMONSTRATIVA.

A “desculpa Geográfica” deixa de fazer sentido quando temos um número seguro de equipas presentes em todas as etapas do MS, independentemente do local onde estas se realizam.
Os do costume nunca falham, e as restantes (quase uma centena) de vagas acabam por ser preenchidas por locals e vizinhos. Por isso as únicas razões que encontro para este centralismo do MS são:
A) A “palavra” das equipas mais fortes (as do costume) que de alguma forma podem ter pressionado a Board para o Umbigismo de 2007.
B) Contenção nas despesas de deslocação by Board do MS, de forma a engordarem prémios e lucros.
C) Nacionalismos estupidamente exacerbados.

Portanto, temos (na minha óptica claro) duas razões monetárias e uma fundamentalista. Zero razões desportivas!

Temos os Toon a brilhar, os PMA a brilhar, os Ninatoz a brilhar, e uma mão cheia de equipas Ibéricas a pretenderem fazer TODO o circuito do MS, mas não temos força para ter uma prova porque as razões desportivas já não têm lugar no Paintball, (sejam elas no MS, nos Nacionais ou Regionais).
É triste…

Sabendo que os lucros e responsabilidades de TODAS as provas são divididos de igual forma, independentemente de quem organiza ou onde organiza, e vendo o esforço que o PCO faz para ter o máximo de equipas Lusas no MS. Não me parece que se possam atribuir “culpas” a uma pessoa, bem pelo contrário, provavelmente ele mais que todos nós tem lutado para que o MS se mantenha pelas nossas redondezas.

Boa sorte parceiro

Planeta Redondo disse...

Boas Cobrakan

Se nós não nos conseguimos reunir/juntar/aliar para resolver os IF´S internos, parece-me demasiado ambicioso pretender junções para IF´S que envolvam estruturas e números como os de um MS.
E atenção que não estou a por em causa a capacidade das pessoas que tem provas já mais que dadas, mas sim dessas (ou outras) mesmas pessoas trabalharem em conjunto ou pró conjunto.

Gosto da tua escrita.
Obrigado pela tua contribuição.
Boa sorte

Planeta Redondo disse...

Boas Kina

Tal como referes, a questão MS no Algarve já foi várias vezes abordada, e nem sempre pela PMA, o que exclui a suspeição e nos leva de regresso á minha resposta ao Cloud.

Boa sorte

Anónimo disse...

se calhar também precisamos de fazer birrinhas, boicotes como as que o Robbo fez a todas as provas organizadas pela estratego...
Fraga

Anónimo disse...

quem é esse robbo? que fez ele? contem contem!

cloud

Anónimo disse...

já o deves ter visto na tenda da dye... é um bisonte enorme que por lá anda, antigo treinador/dono/manager dos Nexus e escreve artigos para a PGI...
se fores ao forum da pgi (p8ntballer.com) o sr escreve montes de posts e se bem me lembro achava a mulher do PCO jeitosa :P

Fraga
(esqueci me de assinar o outro)

Planeta Redondo disse...

Mr Peter Robinson foi o primeiro jogador europeu a vingar nos States, sendo inclusive pago para jogar com a melhor equipa do seculo XX (Aftershock)- the most winning 10 Man team in the history of paintball.

Certo dia o PCO e o Alvaro Mesquita convidaram o homem para dar um treino aos Estratego (Kafka ou Mighty Ducks na altura) e ofereceram-lhe tudo do bom e do melhor, acho que eram mesmo best mates, só que alguns anos depois, e sem que o PCO consiga explicar porquê (mais um daqueles segredos que eles os dois vão levar para o tumulo) Mister Robbo passou a ser O mais acerrimo defensor da exclusão do PCO e todos os seus eventos do MS.

Até á bem pouco tempo o Robbo sozinho fazia (falava e escrevia) mais pelo nosso desporto que a suposta Associação de Jogadores Europeus. Quase ninguém fazia nada na Europa sem ouvir a opinião do Robbo, e in foruns a sua opinião é quase dogmatica.

Pessoalmnte desatino com o excesso de opiniões by Robbo in PGI (se retirarmos o Robbo, o Ollie e os Dynasty, a PGI fica reduzida a publicidade...) mas sigo sempre com muita atenção qualquer palavra sua, porque se alguém percebe MUITO BEM como respira o nosso desporto, esse alguém é sem qualquer duvida Mr Robinson.

Um detalhe interessante é que 20 anos depois, consegui apanhar o meu Guru a mentir. Foi no p8nballer.com quando postei sobre a venda dos Nexus... é uma sensação estranha.