maio 02, 2006

Fechar os Pros

Estamos a chegar ao final de mais uma época paintebolistica a nível nacional, como tal, parece-me ser a altura apropriada para se começar a debater (ou pelo menos lançar para a mesa) ideias que possam ajudar o desporto a mais rapidamente e melhor, avançar/evoluir.

Desta vez fundamento as minhas opiniões nos sistemas melhor comprovados in circuitos mundiais, e nas palavras que troco com os jogadores.

Está na altura de se começar a preparar o caminho para a criação de uma “super Divisão”.
Na prática: Colocar as melhores equipas e os melhores jogadores nacionais a jogarem muito mais vezes APENAS contra as melhores equipas e jogadores nacionais.
É a jogar contra os melhores e a jogar muitas vezes que se consegue não só alcançar mas principalmente rotinar os níveis máximos de qualquer equipa, estando-se por isso OBRIGATORIAMENTE a contribuir de forma decisiva não só para a melhoria da qualidade do Paintball de elite em Portugal mas também para a manutenção da fasquia do ritmo competitivo das equipas que se deslocam aos grandes torneios europeus.

É um desperdício termos um “produto” da qualidade de uns Paintoon, Metralhas, Pintabolas, etc… e não o utilizarmos para proveito das equipas no degrau imediatamente abaixo, que podemos ajudar a evoluir enquanto, simultaneamente, damos a nossa contribuição interna para que os indicies de concentração e competitividade das equipas de topo se mantenham o mais altos possíveis de forma a que a representação nos grandes torneios europeus seja o mais vistosa possível de uma forma consistente.

Jogar mais e mais vezes contra os melhores aumenta as possibilidades de um equilíbrio por cima, logo, a consolidação de não apenas uma mas várias grandes equipas formadas por jogadores portugueses.
Jogar mais vezes entre os melhores obriga as equipas a jogarem mais tempo ao seu melhor nível, logo, a melhorarem.
Os jogos mais bonitos são sistematicamente aqueles que colocam em disputa as equipas mais equilibradas entre si (independentemente da sua divisão)...
Os jogos onde a Adrenalina nos alimenta são aqueles em que disputamos equipas que nos são desportivamente mais próximas...

A mim, parece-me perfeitamente realizável, mas para não ser demasiado ambicioso refiro apenas “abrir/preparar o caminho para”, ou seja, espero que a LPP utilize a próxima época como um ano de transição ou de experiências, mas que por favor não se deixe adormecer e olhe para os exemplos internacionais que triunfaram ou os que melhores hipóteses têm de o conseguir.

Parece-me que neste aspecto as organizações estão a falhar perante os jogadores por desconhecimento, e perante o desporto por falta de acção.
Inúmeros são os jogadores das principais equipas nacionais que preferem um sistema mais competitivo só que não o comunicam on line, gerando o desconhecimento da sua vontade por parte das organizações.
Quanto aos organizadores, deveriam ter agilidade mental para prever e acompanhar as necessidades dos praticantes, principalmente quando nós proprios somos jogadores.

O fecho de uma super liga no topo da hierarquia do paintball nacional é uma medida que demora no mínimo toda uma época para que possa ser implementada, por isso não convêm deixar atrasar a questão porque estamos a teclar hoje de uma matéria que nos pode deixar MAIS TRÊS ANOS ATRASADOS em relação aos nossos parceiros europeus, aliás, parece-me é que já se está a abordar este assunto demasiado tarde.

Desvantagens?
- Desmotivação por parte de equipas “quase lá” que se vejam eliminadas de uma divisão mais acima, tendo que esperar toda uma época para rectificar a situação.
- O fandom paintebolistico sentirá a falta dos jogos em que o equilíbrio de forças se torna extremamente desproporcionado, mas esses jogos continuarão a existir a nível de regionais.

Existem varias questões anexas que também poderiam ser abordadas, como:
Formato do jogo (x, lite, pb?)
Formato das Divisões (p.e. novas equipas só com jogadores Pro, têm entrada directa?),
Divisão de acesso (numa primeira fase apenas a divisão de topo poderia ser fechada e a exemplo do que se faz lá por fora, apenas algum tempo depois se fecharia também a “Divisão de acesso” á “super Divisão”)
Sistema de entradas e saídas (subidas e descidas)
Sistema de arbitragem, prémios, etc…
Mas por agora fico-me pelo ponto principal que é a urgência em se antecipar o futuro do nosso desporto e as vantagens em termos competitivos e desportivos de se preparar uma Divisão de Elite.

Tenho a perfeita noção do elitismo deste artigo, mas é um elitismo necessário para o bem do Paintball, na minha opinião claro.

16 fps

9 comentários:

Kikas X-team disse...

Boas, aqui tá um assunto deveras interessante.

Na minha modesta palavra, este ideia de Masters ou outra coisa qq é bom para aquelas equipas que têm intenção de fazer as provas internaciomais e continuar a mostrar aos outros que cá temos do melhor.
E ás vezes esse melhor nem sempre têm capacidade financeira de ir lá fora.

Agora este troneio Masters terá se ser pensado de várias maneiras, para não corrermos o risco de equipas com menos condições financeiras cheguem a um patamar competitivo que possam ingressar nesta divisão e depois não tenham condições de ter projecto internacional o mesmo de conseguir consolidá-lo.

Também temos de ver que equipas de mais baixo valor competitivo devem de jogar com equipas melhores, para vencer medos, receios e jogar contra os melhores.

Como irá ser? Fazemos um circuito Master? Juntamos esta divisão na LPP e jogam no mesmo dia? Eu pessoalmente penso que deve ser um circuito diferenciado para que estas equipas possam jogar se assim entenderem na LPP e para ajudar as equipas teóricamente mais fracas a crescer.

Outras questões é como serão feitas as escolhas das equipas para esta divisão??? Será este ano? Será para o próximo? e assim as equipas sabem se forem jogar na LPP a pró e ficarem numa certa classificação já sabem o que contam para o ano. Para mim esta última hipotese é a mais viável, pois certamente muitas equipas se vão preparar-se para que cheguem esse objectivo, quem gosta de ficar de fora dos melhores?

O formato escolhido, lá está, para mim tem de se tornar algo que cole as pessoas ao campo e isso é o mais importante. E se queremos que equipas portuguesas fiquem ao nivel das melhores do mundo, temos de jogar o formato que vamos jogar lá fora pq é resultados internacionais que queremos para que cá possamos vender as equipas e o paintball.

Certamente muita tinta vai fazer correr este assunto, mas aqui está a minha pequena ajuda.

PS. Outro assunto a ser debatido seria colocar o nosso ano desportivo igual ao internacional. E torna mais fácil o patrocinio de marcas estrageiras a equipas portuguesas com projecto internacional.

André, parabéns pelo Blog.

Kikas
X-team Paintball Clube

Furyo disse...

A realizar-se será um grande passo no sentido da evolução do Paintball nacional.
Corremos o risco de, perante a inercia que insistentemente afecta tamanhas mudanças ou ideias, ficarmos demasiado desfasados do Paintball que se faz lá fora.
Acrescento a esta ideia o facto de que, se estamos a falar das melhores equipas portuguesas, o formato a utilizar deverá ser o M7 ou algo semelhante ou aproximado, pois essas equipas, á semelhança do que já acontece hoje estarão presentes no Millennium (metralhas, pma, trolls, xteam, paintoon....) onde esse formato é já practicado no escalão mais alto e promete alragar aos restantes.
Se começarmos a fazer algo no próximo ano (estabelecer formato, numero de equipas, forma de apuramento etc) só daqui a dois anos teremos isto em prática. Se não agirmos agora, so daqui a 3 LONGOS ANOS é que veremos mudanças...

João Ramos

Planeta Redondo disse...

-> “Como irá ser? Fazemos um circuito Master? Juntamos esta divisão na LPP e jogam no mesmo dia?”

Eu preferia que essa Divisão estivesse integrada nas provas da LPP.

Parece-me que criar mais um “Campeonato” iria sobrecarregar os bolsos de muita gente que já tem dificuldades suficientes para ir aos Millenniuns. Para alem de baralhar o processo de subidas e descidas (obrigatório) a não ser que cries mais uma Divisão e ai já estás a criar uma outra prova que naturalmente ensombrará o progresso da LPP e eventualmente acabará por dividir a competição no topo, algo extremamente prejudicial para qualquer desporto.
(Para alem de ser eticamente incorrecto para com a LPP, não me parece também ser a opção mais inteligente por parte dos jogadores.)

Mas o importante é mesmo que alguém o faça, porque me parece de todo necessário para a modalidade.

-> “Outras questões é como serão feitas as escolhas das equipas para esta divisão??? Será este ano? Será para o próximo?”

Normalmente seriam seleccionados os X primeiros classificados da Divisão superior da LPP, mais o melhor classificado da 2ª melhor Divisão da LPP, no final da época 2006/2007.

Furyo disse...

As mudanças a acontecerem deverão ser dadas a conhecer num ano (esperemos que o próximo) e implementadas no seguinte, pois não será muito justo estar a promover/despromover equipas sem que soubessem que para isso estavam a "lutar".

Não sei se te referiste a números concretos ou apenas como exemplo André, mas penso que subir apenas uma equipa é um número extremamente reduzido.

Como se este assunto não fosse suficientemente controverso aqui fica mais uma ajuda...

As equipas têm fundos limitados pelo que um incremento nos gastos será incomportavel, até porque o objectivo por detrás de tudo isto é o Millennium ou outras provas fora de portas que por si só representam um elevado custo. Posto isto...
Porque não deixar os regionais para as equipas menos cotadas e concentrar esforços em LPP, Millenium, Divisão de elite (se for criada á parte) ou uma LPP com mais periodicidade nas divisões superiores.

Equipas como Dynasty, XSV etc não vão competir nos Regionais, concentram os seus esforços onde realmente têm competitividade e incentivos suficientes para melhorar e continuar no topo.

- este assunto já merecia um Post... ;)

Kikas X-team disse...

Pois é André, também concordo com os tuas opiniões. Não é assunto fácil.

Eu pessoalmente e a X-team Paintball Clube estará sempre diponivel para dar todas as opiniões e ajudas á LPP. Basta pedirem. Pq acho que vai ser inevitável haver uns retoques de estrutura na LPP, devido ao crescimento do Paintball Nacional.

PS. Pelo que conheço das pessoas da LPP sempre ouviram as ideias e opiniões dos jogadores e das equipas.

Kikas
X-team Paintball Clube

Mr. Cross disse...

A questão dos formatos que se jogam no Millennium parece-me bastante pertinente, porque realmente não faz sentido andar-se a jogar um formato diferente daquele que se joga no Millennium.

Velhos-do-Restelismo à parte, parece-me positivo que haja uma espécie de CPL em Portugal, organizada pelas mesmas associações existentes actualmente. Divisões de campeonatos nesta altura e especialmente num país tão pequeno como Portugal, seria a pior ideia na longa e triste história das más ideias.

Essa CPL à Portuguesa poderia juntar duas boas sugestões: M7 e CPL. Assim equipas mais evoluidas e à procura de maior evolução e protagonismo no Millennium poderiam jogar nesse formato.

Relativamente ao processo de selecção, tenho uma sugestão que penso resolver a questão do primeiro ano.

A entrada pode ser por inscrição (resolvendo assim o problema do primeiro ano) e posteriormente fechada a um número de equipas (assim no fim do primeiro ano as X equipa mais pontuadas ficam). A partir daí é como no campeonato nacional, descem três equipas, sobem outras três. Ou outro número que se achar pertinente.

Planeta Redondo disse...

Boas Mr Cross

-> "A entrada pode ser por inscrição (resolvendo assim o problema do primeiro ano) e posteriormente fechada a um número de equipas (assim no fim do primeiro ano as X equipa mais pontuadas ficam). A partir daí é como no campeonato nacional, descem três equipas, sobem outras três. Ou outro número que se achar pertinente."

Por inscrição é de facto uma excelente alternativa, desde que os inscritos paguem logo á partida TODO o campeonato, de forma a não termos desistencias.
Desta forma temos a certeza que quem se inscreve sabe no que se está a meter.
Bem pensado Cross.

Furyo disse...

A questão do primeiro ano é complicada até por causa dos contratos já feitos e outras politiquices á mistura.

Além disso temos de nos lembrar que o formato Millennium contempla 16 equipas em grupos de 4, sendo que em portugal é possivel adaptar para 12 dependendo do numero de interessados, mas mais que 16 será complicado até a nivel de tempo.

Anónimo disse...

Nice colors. Keep up the good work. thnx!
»